"Ao permitir uma recuperação mais rápida e menos dolorosa, estas técnicas possibilitam o tratamento de muitos pacientes em regime de Hospital-Dia."

CIRURGIA MINIMAMENTE INVASIVA

Técnicas cirúrgicas minimamente invasivas são aquelas que minimizam o trauma relacionado à cirurgia, especialmente aquelas técnicas que evitam grandes incisões, levando à realização de procedimentos com os menores “cortes” (ou incisões) possíveis.

Há muitas técnicas minimamente invasivas que podem ser aplicadas em coloproctologia, o que revolucionou a prática cirúrgica na especialidade desde os anos 1990. Exemplos de técnicas minimamente invasivas em coloproctologia são os procedimentos de grande porte realizados por videolaparoscopia e as técnicas videoassistidas que foram desenvolvidas depois.

Nestas técnicas, equipamentos óticos e pinças especiais possibilitam que uma estrutura interna do corpo possa ser visualizada em detalhes e delicadamente manipulados, utilizando equipamentos de vídeo.

Desta forma, por meio de pequenas incisões estes equipamentos são inseridos em cavidades do corpo e o cirurgião consegue visualizar tudo o que está fazendo por uma tela, em tempo real.

O interesse pelas técnicas minimamente invasivas em coloproctologia foi responsável por levar o Dr. Fábio a fazer sua residência médica em coloproctologia na Universidade Federal do Ceará, serviço capitaneado pelo Prof. Dr. Sérgio Regadas, que viria a ser seu orientador de Mestrado. O Dr. Sérgio foi o responsável por realizar a primeira cirurgia videolaparoscópica colorretal na América Latina, ainda em 1991.

No entanto, as técnicas minimamente invasivas em coloproctologia não se resumem aos procedimentos intestinais ou do reto. Novas técnicas minimamente invasivas tornaram possível tratar doença hemorroidária, fístulas anais e cistos pilonidais.

Além destas técnicas, novas abordagens assistidas por vídeo possibilitam tratar lesões do reto por via transanal. Isto é, operando o reto através do próprio ânus.

As grandes vantagens para os pacientes das técnicas minimamente invasivas é possibilitar uma recuperação mais rápida e com menos desconforto, quando se compara a uma técnica convencional.

E as vantagens não param por aí: ao permitir uma recuperação mais rápida e menos dolorosa, estas técnicas possibilitam o tratamento de muitos pacientes em regime de Hospital-Dia. 

O Dr. Fábio é um entusiasta destas técnicas, tendo sido pioneiro em muitas delas tanto em Brasília e como no Brasil. Técnicas como PPH e THD (para tratamento de hemorroidas), LIFT e VAAFT (para tratamento de fístulas anais), STARR, POPS, TRREMS e Apex Technique (para tratamento de retoceles e prolapsos retais), EPSiT e Bascom (para tratamento de cisto pilonidal) e TAMIS e TaTME (para tratamento de tumores de reto) são algumas que foram empregadas de forma pioneira pelo Dr. Fábio.

Boa parte destas técnicas são hoje realizadas no nosso próprio Bloco Cirúrgico, em circuito de Cirurgia Ambulatorial. Assim, a maior parte dos nossos pacientes retorna ao domicílio para recuperação assistida por nossa equipe multidisciplinar.

Para mais informações sobre as técnicas minimamente invasivas, separamos informações sobre cada uma delas em nossa página de tratamentos.

Para saber mais sobre nosso Programa de Cirurgia Ambulatorial, clique aqui.

Seta