Fístula Anal: Técnicas Poupadoras de Esfíncter – LIFT

25/11/2016

LIFT é uma sigla que significa “ligadura inter-esfincteriana do trajeto fistuloso”. Trata-se de uma criativa abordagem, onde – após os cuidados comuns às demais técnicas de anestesia e posicionamento – o trajeto fistuloso é identificado, “raspado” e os orifícios interno e externo removidos. Aqui, a grande diferença está na abertura e dissecção entre os esfíncteres anais interno e externo, a fim de identificar e isolar a porção do trajeto esfincteriano que atravessa estes dois músculos, sem que seja necessário cortá-los. Neste ponto, o trajeto é ligado (amarrado) e cortado, interrompendo-se o fluxo de secreção pelo trajeto. Desta forma, o trajeto tende a “secar”e cicatrizar. Os resultados – ainda iniciais, têm demonstrado uma taxa de sucesso de cerca de 60 a 70% dos casos. A boa notícia é que estes resultados tem sido reproduzidos no mundo inteiro e a técnica, apesar de muito recente, tem obtido grande aceitação nos maiores centros internacionais.

Fístula Anal

Nós da COLONO temos orgulho de termos introduzido esta técnica em Brasília, com bons resultados. Os pacientes ideais são aqueles que apresentam fístulas trans-esfincterianas (ou seja, trajetos que atravessam ambos os esfíncteres) de trajeto único.