Qual a diferença entre Síndrome do Intestino Irritável e Intolerância a Lactose?

08/11/2017

A Síndrome do Intestino Irritável (SII) e a Intolerância a Lactose podem parecer, à primeira vista, muito semelhantes.

Os sintomas que ambas as condições causam são semelhantes. No entanto, existem diferenças importantes entre suas causas e, principalmente, entre as formas de tratá-las.

Se alguém possui intolerância à lactose, isso ocorre porque o organismo não é capaz de digerir um tipo específico de substância: a lactose, um açúcar naturalmente presente no leite e seus derivados.

Mas se alguém possui a SII, por outro lado, as causas são outras, o que irá repercutir no tratamento.

Uma mesma pessoa pode possuir as duas doenças, mas é importante ressaltar que são tipos diferentes de problemas.

Os sintomas são semelhantes para as duas condições, e incluem:

  • Inchaço ou distensão abdominal;
  • Dores abdominais;
  • Diarréia;
  • Gases;
  • Náuseas;
  • Vômitos.

A SII também pode causar constipação intestinal, ou ter a sensação de que não consegue esvaziar completamente o intestino. Os sintomas podem mudar com o tempo, se agravar ou reduzir em intensidade, ou até mesmo desaparecer.

Na intolerância à lactose, os sintomas costumam aparecem entre 30 minutos e duas horas após a ingestão de leite ou de seus derivados.

A primeira forma de distinguir as duas condições é através da definição de suas causas.

A SII tem uma conhecida correlação com ansiedade. Alterações nos neurotransmissores,  substâncias que fazem a comunicação e transferência de sinais entre o cérebro e os nervos periféricos, também atuam sobre a parede do intestino e têm papel relevante na síndrome.

Outra hipótese é a ocorrência da doença em pessoas que são especialmente sensitivas a gatilhos com certos tipos de comidas ou estresse.

Apesar de sua causa ser ainda pouco conhecida, os médicos conseguem identificar alguns fatores que podem aumentar o risco de desenvolvimento da SII, como:

  • Genética;
  • Infecções intestinais;
  • Dieta, com alimentos que aumentem a produção de gases, por exemplo.

Já a Intolerância à Lactose é melhor entendida, bem como os mecanismos que a causam.

O corpo não consegue digerir o açúcar presente no leite, chamado de lactose. Isso acontece quando o organismo não produz quantidade suficiente de uma enzima chamada lactase, cujo papel é degradar a lactose em algo que o corpo é capaz de absorver.

Não é uma condição grave, mas pode impedir a pessoa de ingerir a quantidade adequada de nutrientes importantes como cálcio e vitamina D, que muitas pessoas retiram do leite e seus derivados.

A intolerância à Lactose tem um forte fator familiar. Algumas outras doenças também aumentam o risco desse tipo de intolerância, como: colite ulcerativa, Doença de Crohn, e Doença Celíaca.

Qual é o tratamento para a Síndrome do Intestino Irritável ou Intolerância à Lactose ?

Apenas um médico especializado pode dar o diagnóstico correto e dizer se alguém possui SII ou Intolerância à Lactose. Portanto, quem apresenta algum dos sintomas acima deve procurar um médico para uma avaliação e tratamento adequado.

É importante que os médicos saibam informações sobre seu histórico de saúde e seus sintomas de forma detalhada. Além disso, quando existe a suspeita de intolerância à lactose, também é necessário conhecimento do histórico familiar, realização de um exames físicos criteriosos. Teste específicos, como o teste do hidrogênio expirado ou o teste oral de tolerância à lactose podem ser úteis para o diagnóstico.

Esses teste consistem na ingestão de uma bebida contendo lactose, com posterior expiração do ar em um recipiente específico ou mesmo a coleta sucessiva de amostras do sague para dosagem de glicose. Isso é necessário, pois a lactose não digerida leva a uma alta concentração de hidrogênio no organismo. Testes laboratoriais realizados com o ar expirado conseguem detectar os níveis de hidrogênio na respiração, ajudando na definição do diagnóstico. De modo similar, a elevação da glicose no sangue periférico após a ingestão da lactose sugerem que a sua degradação pela lactase está ocorrendo de forma satisfatória.

Os sintomas da SII podem aumentar ou reduzir com o tempo, ou mesmo desaparecer.  

Algumas estratégias são úteis para lidar com essa síndrome, que acompanhará o paciente por toda a vida. Mudanças alimentares e formas de lidar com o estresse podem ajudar a reduzir os sintomas.

Algumas medicações, tanto laxativas quanto para redução da diarréia, dependendo dos sintomas, podem ajudar no tratamento também.

É muito importante conversar com o médico para que ambos, em conjunto, decidam o melhor tratamento possível.

A intolerância à lactose também não tem cura. A melhora dos sintomas ocorre quando se evita, ou se retira da dieta e leite e seus derivados que contenham a lactose.

Algumas pessoas conseguem tolerar uma pequena quantidade de lactose, e conseguem ingerir alguns alimentos, porém outras precisam cortar completamente a ingestão de lactose.

A ajuda de um nutricionista permitirá a definição da melhor dieta, assim como dos suplementos adequados, que podem ajudar neste caso.

A Síndrome do Intestino Irritável e a Intolerância a Lactose são condições bastante diferentes mas que apresentam sintomas semelhantes. Saber a diferença entre elas, procurando ajuda médica para uma melhor avaliação, ajudará a definir o melhor tratamento e melhorar a qualidade de vida das pessoas portadoras dessas condições.

Deixe uma resposta