Como funciona a correção cirúrgica da retocele e para quem é indicada?

11/01/2018

A retocele pode ser caracterizada como uma projeção da parede anterior do reto sobre a parede posterior da vagina.

retocele

Originada por uma fragilidade no tecido existente entre a parede posterior da vagina e a anterior do reto, a doença ocorre tanto entre mulheres que nunca engravidaram quanto naquelas que já deram à luz.

No entanto, dentre os fatores de risco, além da idade e da ocorrência de doenças degenerativas, podem ser listadas mulheres que já engravidaram pelo fato do períneo poder ser lesado durante o parto normal.

Dentre os sintomas, são comumente relatados:

• Dificuldade para evacuar;
• Sensação de abaulamento vaginal durante esforço físico;
• Dor e sangramento retal.

Já dentre as complicações da doença, podem ser inclusos fístula retal, lesão na bexiga, retenção urinária e infecção.

O diagnóstico pode ser realizado através de vários exames nas regiões anal e vaginal. Dentre eles, podemos citar a ressonância magnética, ultrassonografia ou mesmo uma manometria retal.

Como é realizada a correção cirúrgica da retocele?

É comum que não seja indicado tratamento para retoceles assintomáticas. No entanto, em retoceles moderadas, caso os sintomas persistam após tratamento clínico, é realizada a indicação para procedimento cirúrgico.

O tratamento cirúrgico pode ser realizado a partir de várias técnicas que diferem entre si pela via de acesso (podendo ser transvaginal, transperineal ou transanal) ou pelo emprego ou não de prótese.

Com a existência de múltiplas técnicas, cabe ao médico especialista (após avaliação clínica, anatômica e funcional bem elaborada) indicar o tratamento apropriado.

Um dos tratamentos cirúrgicos, conhecido por Colpoperineorrafia, consiste na sutura da vagina e períneo lesados.

Um procedimento muito comum é a Colporrafia, caracterizado pelo reforço na sutura das paredes do órgão para o estreitamento vaginal.

Outra cirurgia pode ser indicada em alguns casos, principalmente quando se observa prolapso (saída de um órgão de sua posição normal): a Perineorrafia. O tratamento consiste no reforço de toda a região peritoneal.

TRREMS: como funciona o reparo transanal de retocele

Como alternativa aos métodos acima mencionados, o TRREMS consiste no uso de grampeador circular para correção da retocele por via transanal.

A técnica cirúrgica consiste na remoção da parede anterior do reto (no local da retocele) e mucosectomia com o grampeador mecânico.

Em casos de retocele associada a prolapso retal, o procedimento pode ser realizado com sucesso, assim como em indivíduos com sintomas de evacuação obstruída.

O procedimento apresenta inúmeras vantagens:

• O reparo é rápido, podendo durar cerca de 40 minutos;
• Apresenta poucas complicações;
• O tempo médio de internação é curto (cerca de um dia);
• O procedimento é interessante do ponto de vista estético;
• O paciente pode retornar precocemente às suas atividades habituais;
• Menos dor pós-operatória.

Além de tal técnica cirúrgica ser considerada segura e muito útil para um tratamento efetivo da retocele, apresenta baixo custo devido aos instrumentos utilizados.

A correção cirúrgica da retocele deve chegar ao paciente por meio de um diagnóstico preciso realizado por um especialista. Ele será capaz de indicar o tratamento mais adequado para cada caso.

Caso você deseje agendar sua Consulta com um Especialista na Clínica Colono, basta nos enviar uma mensagem pela página de contato ou então falar diretamente conosco pelo nosso WhatsApp.

Assista ao Vídeo: TRREMS – Cirurgia para Correção de Retocele: